18 janeiro, 2010

desassossegos quietos








Williams, L..
you get so alone at times that it just makes sense
(2006)







A tristeza resignada desarma a vida e adia-a até ao impossível. Um mal silencioso e encoberto que, ironicamente, chega a ser visto como um bem raro.
Gostei muito de ler este texto. Continuei a gostar dos comentários que motivou. Aqui fica o convite para o lerem e, quem sabe, comentarem com os vossos próprios traços.

Milton & Maria Rita, tristesse (copiei a ideia da música daqui)

11 comentários:

intimidades disse...

mais uma vez obrigada por me dares a conhecer algo tao bom

jokas
Paula

jrd disse...

Qual das versões a melhor?

jrd disse...

Ralhar, eu? Nem pensar. ;)

lino disse...

Para mim, a música ganha dez a um, no mínimo.
Beijinhos

cristal disse...

Gostei muito... Olha faz-me o favor de imeilar para mim que eu perdi o teu endereço e tenho umas coisinhas para te mandar... BJS

ana v. disse...

Obrigada mais uma vez, Maria do Sol. E é aqui, afinal, que fica tudo dito: "Um mal silencioso e encoberto que, ironicamente, chega a ser visto como um bem raro." É isso mesmo...

beijinhos (adoro a Maria Rita, já quase a acho melhor do que a mãe!)
:-)

susana disse...

Segui o link. O conto é um espanto!

bettips disse...

As vidas apagadas de sopro, sem que ninguém dê por elas...e quanto DEIXAM aos outros!
Bj

intimidades disse...

:) obrigada pelo comentario

na minha profissao e no sitio onde estou as vezes vemos coisas que nos fazem sentir impotentes e isso da-nos raiva, e o que me da mais raiva e que o primeiro sentimento que te vem a cabeca e fugir para o conforto. E da-me raiva de mim mesma ter de lutar contra esse sentimento para continuar a trabalhar, nao o devia ter

haha eu estou num sitio quente, posso andar tal como elas pouco vestida hahaha

Beijos

Paula

Blondewithaphd disse...

Ó meu Deus, a "tristeza resignada"... Já não mora aqui.

Mar Arável disse...

Mais que o texto

a música

e o seu gosto