31 março, 2011

há pressas que são um verdadeiro atraso de vida







Roeth, Winston
red square
(1998)



Como bem se diz aqui, ainda não há notícias oficiais da decisão do PR face ao pedido de demissão do PM mas a sessão do 25 de Abril na AR já foi cancelada. Estou, por isso, muito de acordo com a posição da Sofia.

"Hino" do MFA - a life on the ocean wave, Henry Russel

29 março, 2011

porque hoje é terça



Aldina Duarte, ai meu amor se bastasse

Ai meu amor se bastasse
Saberes que eu te amo tanto
E cada vez que eu cantasse
Ai meu amor se bastasse
Saberes que é por ti que eu canto

Ai meu amor se bastasse
O que a cantar eu consigo
E mesmo que eu não cantasse
Ai meu amor se bastasse
O que a falar eu não digo

Ai meu amor se bastasse
Eu saber que te não basta
E na vida que eu gastasse
A cantar eu reparasse
Que a nossa vida está gasta

Se o que eu tenho p'ra te dar
Quando eu canto te chegasse
Se isso pudesse bastar
Se me bastasse cantar
Ai meu amor se bastasse

Manuela de Freitas - letra
Pedro Rodrigues - música

28 março, 2011

manhã de segunda, mas uma boa semana (70)






Valtat, Louis
bouquet de fleurs
(1920)








Uma semana colorida de afectos e quentinha de paz. :)))



Madredeus, o sonho

27 março, 2011

há domingos assim (34)


Arvo Pärt - Spiegel im Spiegel [é para ouvir, tá?]

Um bom dia do senhor. :)))

26 março, 2011

acordo verde*


green new deal

* Nã nã, eu continuo muito azulzinha.

tempo de mudar a hora

Adicionar legenda






Kuromata, Shiro
just in time’ clock
(c. 1986)






Convém acertar o relógio pela hora nova, para sabermos a quantas andamos e não chegarmos atrasados. :))))

sábado de manhã (153)






Schneider, William A.
asleep

25 março, 2011

penada







Henriques, Stephens
poems of the soul




Quem quiser cantar com arte
Cante a pena que sofrer
A mesma pena o fará
Cantar bem, sem o saber.
quadra popular (Portugal)
[a Rosa do Mundo - 2001 poemas para o futuro 2001,768)


Amália, povo que lavas no rio

luz e sombra





Mack, Heinz
licht und schatten
(2007)

24 março, 2011

co lapso






Rego, Paula
the old republic
(2005)







Depois de ouvir alguns protagonistas do momento, depois de não ouvir alguns protagonistas do momento, olhem ... haja fé na esperança ...
.... 

 noiserv, 11:15 am - the sad story of a little town

23 março, 2011

des apontamento






Muhs, Jeff
descent of spring






Era o que me faltava: a primavera resolver acompanhar a descida do resto. Não há queda que resista a tanta decadência. Os derrubes sucedem-se desapontados e as ruínas erguem-se entre o derramamento das tácticas mais egoístas. As reservas delapidam-se e vamos todos por aí abaixo... A descida é trambolhão e desastre.

22 março, 2011

porque hoje é terça


Chico Buarque, eu te amo

Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir
Se, ao te conhecer, dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir
Se nós, nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir
Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu
Como, se na desordem do armário embutido
Meu paletó enlaça o teu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu
Como, se nos amamos feito dois pagãos
Teus seios inda estão nas minhas mãos
Me explica com que cara eu vou sair
Não, acho que estás te fazendo de tonta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir
(Tom Jobim - Chico Buarque, 1980)

21 março, 2011

manhã de segunda, mas uma boa semana (70)






Li-Zhi, Luo
spring garden
2005)





Da luva lentamente aliviada
a minha mão procura a primavera ...

Ruy Belo, à chegada dos dias grandes, homem de palavra(s), primavera, (todos os poemas, assírio & alvim, 242)

Cristina Branco, água e mel

Ora, então, tenham uns dias cheiinhos de primavera.

20 março, 2011

há domingos assim (33)






Scott, Bill
fall back into spring
(2007-2008)



Apesar do som da guerra, do cheiro da catástrofe e do sabor amargo da crise, a luz e as cores da primavera chegaram pontuais, mostrando um sentido de responsabilidade notável para com o nosso alento. Um bom dia do senhor [mesmo para quem ainda não a sentiu]. :))))
Pat Metheny, spring ain't here

19 março, 2011

todo o nada que és é teu





Ohlson, Doug
cat eyes
(1993)







Gato que brincas na rua
Como se fosse na cama,
Invejo a sorte que é tua
Porque nem sorte se chama.

Bom servo das leis fatais
Que regem pedras e gentes,
Que tens instintos gerais
E sentes só o que sentes.

És feliz porque és assim,
Todo o nada que és é teu.
Eu vejo-me e estou sem mim,
Conheço-me e não sou eu.

Fernando Pessoa, antologia poética, ed. rba eds, 74


Philip Glass, metamorphosis (1), Branka Parlić (piano)

... para quem passa, neste sábado cheio de sol, em que se lembra o dia do pai [que saudades] :)))

sábado de manhã (152)







Peabody, Louise
flowered robe II
(2003)

18 março, 2011

não sei se havia necessidade (17)






Kahlo, Frida
as duas Fridas
1939)
















Morimura, Yasumasa
'dialogue with myself' from the series 'an inner dialogue with Frida Kahlo'
(2001)
[fotografia]

17 março, 2011

bien sûr, si l'on ne se fonde que sur ce qui saute aux yeux ...





Miró, Juan
méandres et vent
(1964)




René Aubry, le vent (de Georges Brassens)

Si, par hasard
Sur l'Pont des Arts
Tu croises le vent, le vent fripon
Prudenc', prends garde à ton jupon
Si, par hasard
Sur l'Pont des Arts
Tu croises le vent, le vent maraud
Prudent, prends garde à ton chapeau

Les jean-foutre et les gens probes
Médis'nt du vent furibond
Qui rebrouss' les bois, détrouss' les toits, retrouss' les robes
Des jean-foutre et des gens probes
Le vent, je vous en réponds
S'en soucie, et c'est justic', comm' de colin-tampon

Si, par hasard
Sur l'Pont des Arts
Tu croises le vent, le vent fripon
Prudenc', prends garde à ton jupon
Si, par hasard
Sur l'Pont des Arts
Tu croises le vent, le vent maraud
Prudent, prends garde à ton chapeau

Bien sûr, si l'on ne se fonde
Que sur ce qui saute aux yeux
Le vent semble une brut' raffolant de nuire à tout l'monde
Mais une attention profonde
Prouv' que c'est chez les fâcheux
Qu'il préfèr' choisir les victimes de ses petits jeux

Si, par hasard
Sur l'Pont des Arts
Tu croises le vent, le vent fripon
Prudenc', prends garde à ton jupon
Si, par hasard
Sur l'Pont des Arts
Tu croises le vent, le vent maraud
Prudent, prends garde à ton chapeau

Georges Brassens

16 março, 2011

parabéns





Hitchens, Ivon
flowers in a blue jug
(c.1935)



Muitos parabéns, muitos parabéns, muitos parabéns, muitooooos abraços, beijos e miminhos para a querida Justine, que faz hoje anos.

15 março, 2011

porque hoje é terça








Bonifacho, Bratsa
je t'aime







Tom Jobim e (Leila Pinheiro?)  falando de amor

Se eu pudesse por um dia
Esse amor, essa alegria
Eu te juro, te daria
Se pudesse esse amor todo dia
Chega perto, vem sem medo
Chega mais meu coração
Vem ouvir este segredo
Escondido num choro canção
Se soubesses como eu gosto
Do teu cheiro, teu jeito de flor
Não negavas um beijinho
A quem anda perdido de amor
Chora flauta, chora pinho
Choro eu o teu cantor
Chora manso, bem baixinho
Nesse choro falando de amor
Quando passas, tão bonita
Nessa rua banhada de sol
Minha alma segue aflita
E eu me esqueço até do futebol
Vem depressa, vem sem medo
Foi pra ti meu coração
Que eu guardei este segredo
Escondido num choro canção
Lá no fundo do meu coração

14 março, 2011

manhã de segunda, mas uma boa semana (69)







Harding, Sasha
peace







Apesar de todos os pesares, uma boa semana para todos. :))))

Jorge Palma, olá (cá estamos nós outra vez)

13 março, 2011

teste

Um teste curioso.
[É rápido]

12 março, 2011

cópia


Rentaro Taki, Kojo no Tsuki

"roubado" daqui

sábado de manhã (151)







Goossens, Hilde
liggend meisje
(2006)

11 março, 2011

convite aceite


Cristina Branco, invitation au voyage

L'Invitation au Voyage

Mon enfant, ma soeur
Songe à la douceur
D'aller là-bas vivre ensemble!
Aimer à loisir
Aimer et mourir
Au pays qui te ressemble!
Les soleils mouillés
De ces ciels brouillés
Pour mon esprit ont les charmes
Si mystérieux
De tes traîtres yeux
Brillant à travers leurs larmes

Là, tout n'est qu'ordre et beauté
Luxe, calme et volupté.

Des meubles luisants
Polis par les ans
Décoreraient notre chambre
Les plus rares fleurs
Mêlant leurs odeurs
Aux vagues senteurs de l'ambre
Les riches plafonds
Les miroirs profonds
La splendeur orientale
Tout y parlerait
À l'âme en secret
Sa douce langue natale.

Là, tout n'est qu'ordre et beauté
Luxe, calme et volupté.

Vois sur ces canaux
Dormir ces vaisseaux
Dont l'humeur est vagabonde
C'est pour assouvir
Ton moindre désir
Qu'ils viennent du bout du monde.
Les soleils couchants
Revêtent les champs
Les canaux, la ville entière
D'hyacinthe et d'or
Le monde s'endort
Dans une chaude lumière.

Là, tout n'est qu'ordre et beauté
Luxe, calme et volupté.

poema de Charles Baudelaire

10 março, 2011

cska 0 - fcp 1; scb 1 - liverpool 0; slb 2 - psg 1






Sir Terry Frost
blue spiral
(2003)







O FCP ganhou 1- 0 ao CSKA de Moscovo para a primeira mão dos oitavos-de-final da Liga Europa, lá em Moscovo. Força azulzinhos.

As papoilinhas demoraram um bocadinho, mas também estão saltitantes porque ganharam na Luz ao PSG por 2-1. Força vermelhuscos.
Os arsenalistas de Braga também ganharam ao Liverpool por 1-0. Força para Anfiel.

background







Kostabi, Mark
political disease
(1989)






No fundo, no fundo, estou curiosa para ver o fundo dos cartazes nas manifs do próximo dia 12.  A minha sugestão é que devem reforçar bem os cabos dos ditos. Com o impulso dado pelo sr. PR, nunca se sabe se, em vez de frente de ataque, não se gera mazé uma guerra dos chamorros.

se é para fazer ouvir a voz ... [ shiuuu, sou jovem de espírito, ora bem]







Rütimann, Christoph
sans titre
(2010) 
[acrílico sob vidro e sobre tela]





1) É de mim ou uma desusada desenvoltura na leitura das várias páginas do speech, terá a ver com um treino intensivo e de última hora, à maneira do Lionel Logue?
2) É de mim, ou quem traça um quadro castastrófico  do país, como traçou, com o poder e as incumbências que tem, para dar algum sentido às suas próprias palavras, tem de tomar imediatamente decisões em consonância? Se não o faz, para que fala assim? Para imitar os bloggers e jornalistas que gostam de começar postes com um link soberbo em cima de frases do tipo: tal como já disse aqui? Não deve ser, não ...
3) É de mim, ou quem vê o país como o descreveu e sendo o mais alto magistrado da Nação há cinco anos, só muito cinismo seráfico o levou a ficar calado até agora? Ou o mundo mudou mesmo de repente, assim, nos últimos dois meses?
4) É de mim, ou  há uma enorme falta de dimensão histórica e de estadista do senhor eleito? O discurso dele é tão mobilizador como os choros pagos das antigas carpideiras nos enterros ...
5) É de mim, ou a sua pseudo candura, oferecida à vista pela rigidez do rosto, pela secura de carnes e pelo cavaquear sobre um percurso de vida valente, duro, de quem veio de baixo, é mazé uma convicção de predestinado, entulhada de sobranceria e atravancada de egocentrismo num amontoado de representações mentais muito pouco claras?
6) É de mim, ou quem faz política no sentido mais restrito do termo, ao tempo e nos cargos elevados em que o senhor a tem feito, fazer o discurso anti políticos só mesmo na reinação e nunca com ar de quem está a sentenciar algo importante que só ele tem credibilidade para fazer?
7) Quem encarou esta eleição presidencial de forma quase diletante, também não fica nada bem na fotografia.

09 março, 2011

quarta-feira de cinzas







Reuther, Kit
ash & dust








Em dia de tomada de posse, resigno-me a recordar o post com que assinalei a eleição.

08 março, 2011

porque hoje é terça


Clara Nunes, amor perfeito

O meu amor vê teu amor assim
Assim como um jardim
De flores novas

Por teu amor
O meu amor sem fim
Plantou dentro de mim
Um “pé de trovas”

E cada verso
É um botão de flor
Anunciando o amor
A primavera
Que faz do tempo uma quimera
E a nossa vida mais sincera
E o nosso amor, um grande amor

Teu coração
Jardim dos meus jardins
Me cobre de jasmins
Cravos e rosas
Meu coração
Teu carrilhão de sons
Te enfeita de canções
Versos e prosas

Cada canção é feito um beija-flor
Beijando o meu amor
Em nosso leito
Fazendo um ninho em nosso peito
Um ninho amor, de amor perfeito
E desse amor
Perfeito amor...

07 março, 2011

06 março, 2011

há domingos assim (32)




Gospodinov, Peter
white language
(2007)



Um bom dia do senhor :))



Erik Satie, gimnopédie 1 (orquestra)

05 março, 2011

queda (ler este título como se tivesse sido o Camões a escrever)

Tenho andado parada. Pode parecer paradoxal andar quieta, mas assim tem acontecido. Sem lastro para deixar rastos nas vossas "casas". Não é auto-suficiência, longe disso. Às vezes temos de nos gastar por aí, de decisão em decisão, até que novo equilíbrio suceda e nos dê chão e horizonte para retomarmos os outros. 

(Okay, eu sei que um :))) não exige muito. Terei perdão?)

:)))

sábado de manhã (150)






Picasso, Pablo
dormeuse aux persiennes
(1936)






E vão 150! Muito se dorme aqui no branquinho...

02 março, 2011

não sei se havia necessidade (16)





















Picasso, Pablo the dream (1932)                                         Duoqi, Ju - the dream of the tofu (2008)

01 março, 2011

porque hoje é terça






Dehai, Pan
dream
(2004)












Maria Bethânia, sonho impossível

Sonhar mais um sonho impossível
Lutar quando é fácil ceder
Vencer o inimigo invencível
Negar quando a regra é vender
Sofrer a tortura implacável
Romper a incabível prisão
Voar num limite provável
Tocar o inacessível chão
É minha lei, é minha questão
Virar este mundo, cravar este chão
Não me importa saber
Se é terrível demais
Quantas guerras terei que vencer
Por um pouco de paz
E amanhã este chão que eu deixei
Por meu leito e perdão
Por saber que valeu
Delirar e morrer de paixão
E assim, seja lá como for
Vai ter fim a infinita aflição
E o mundo vai ver uma flor
Brotar do impossível chão