12 abril, 2011

breza com fundo

 





Merrick, Thom
desert metamorphosis
(2005)






episódio Nobre desmonta uma das fronteiras da participação cívica para  muitos ingénuos, outros distraídos e outros preguiçosos (sempre à espera  do Sebastião, da senhora de Fátima, de ...) e escancara a  tenda do oportunismo político com a apresentação da barraca das contradições  absolutas do discurso: (1) na forma - "Não, categoricamente, não"; (2) na  substância - o Presidente da AR cuida da democracia formal protagonizada pelos partidos, cujo funcionamento Nobre combateu de forma tão chã.
Mesmo que, para Nobre, a realidade mude à velocidade da luz e o seu discurso acompanhe essa vertigem,  ninguém é alternativa às práticas do sistema, como Nobre se insinuou, indo  cuidar das suas formalidades. Ou, então, o caso é, ainda, muito mais  grave.

8 comentários:

João Menéres disse...

A tempo :

GÁUDIO no sentido de BRINQUEDO.
Mas é um NÓ que é difícil de desatar pelas mãos que o deram...

Mónica disse...

só tens um comentário, estranho. concordo 90%. se havia alguém com ilusões nobres, tramou-se. votei nele por revelia. e uma pontinha fé :DDDD
mas continuo a acreditar q é possivel.
e no fundo tb quero um tacho eheheheheh

Mónica disse...

o desenho é isso mm, miragem

Maria disse...

A última hipótese...

:)

Rogério Pereira disse...

Não se interrogue
sobre a alma de Nobre
A plasticina é assim
assume a forma que se lhe quer dar
com a flexibilidade necessária

lino disse...

Salsicha fora de prazo :))

Daniel Santos disse...

Sou obrigado a concordar.

brites disse...

Nunca entendi as razões dos seus eleitores.
Muito cedo se percebeu a sua impreparaçao,patetice,intolerância.

Quando se considerou o melhor dos portugueses o mote estava dado e muita gente não percebeu o monstro suspenso naquela aparente figura intocável..