05 janeiro, 2011

que não te falte um isqueiro para acenderes o teu cigarro






Malangatana, Valente
a viagem secreta
(1960)






Morreu Malangatana.

Ouvi-lhe histórias com a mão dele a agarrar a minha, num gesto quase sagrado que me pôs em estado de encantamento e veneração. Se eu tivesse dons de escrita teria escrito qualquer coisa parecida com o que Manuel Jorge Marmelo escreve no Teatro Anatómico.

18 comentários:

Ana disse...

Mas escreveu muito bem, mm sem esses dons que reclama.
Só um reparo. Relativamente à sondagem que colocou, venho reclamar pelo facto de não me ser permitido "picar" todas as opções!! :))

Ana disse...

Mas escreveu muito bem, mm sem esses dons que reclama.
Só um reparo. Relativamente à sondagem que colocou, venho reclamar pelo facto de não me ser permitido "picar" todas as opções!! :))

Eu, Meu Contrário e Minha Alma disse...

Não sei porque e de que morreu
que sei eu?
Talvez de tristeza...
como posso ter a certeza?

(rima triste, esta a do Rogério...)

ariel disse...

Beijinho.

:)))

Mar Arável disse...

Partilhei com ele uma viagem

e aprendi que existem olhos

que não mentem

Bj

jrd disse...

Uma chama que nunca se apagará. Um grande pintor.

intimidades disse...

um fantastico homem, um artista fabuloso

um grande homem

Bjinhos
Paula

lino disse...

:))

anamar disse...

Já aqui tinha estado mas não deixei comentario... Li o texto aconselhado.Gostei.
Não quis aumentar a tua pena pois sabia que com Malangatana já tinhas partilhado bons momentos em Maputo. Tinhas vindo feliz....
Beijo ternurento
Ana

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Émedêsolamiga

Já o disse e repito: tive a honra, o privilégio e, sobretudo, o prazer de ter Malangatana como Amigo, gozar da sua alegria e gozar, sobretudo quando se punha a cantar no meio de uma troca de opiniões. Um tipo bué da fixe, como dizem os meus netos.

Foi-se, depois de doença maldita, mas envolto nas suas cores que ele tão bem pincelava na tela. Tenho muita pena, mesmo muita.

Agora, Amiga, vai à Minha Travessa, posta comentários e torna-te minha (par)seguidora. Muito obrigado.

Qjs = queijinhos = beijinhos

Luis Filipe Gomes disse...

Há pessoas que nunca conheci mas que sempre me foram familiares. O Malangatana é uma dessas pessoas.
Lá no meu canto escrevi o que pude sobre a falta que ele me fará.

António P. disse...

Obrigado, mdsol

R. disse...

Ouvi a Mia Couto algo muito semelhante: que Malangatana, para além de grande contador de histórias, se fazia presente nas distâncias. Bem haja por lembrá-lo, mdsol, e que a saudade, que certamente lhe deixa, seja amenizada pela recordação do "encantamento e enlevo" que teve o privilégio de experimentar.
Abraço grande.

candida disse...

eu, por acaso, não aprecio muito. os quadros, não o homem que não conheci.
ainda era muito novo e, pelos vistos, uma excelente pessoa.

Justine disse...

É triste perder um artista como ele, um homem como ele!

Mónica disse...

ó mdsol :(((( vieram-me as lagrimas

neste dia foi enterrada a minha ex-ex-sogra e n fui ao enterro por falta de estomago para encarar o resto da familia e senti-me mal

agora esta noticia, o malangatana é o simbolo, a união, o consenso do melhor de moçambique, conheci-o pessoalmente como uma miuda de 12/14 anos pode conhecer um homem de 60, tinha (que lar moçambicano/branco n tinha?)um quadro dele em casa que marcou um periodo da minha vida, visitei o atelier impressionante cheio de obras gigantescas avermelhadas, fui colega da escola da filha, fui fã das festas de garagem para ver o filho dançar, pessoas belas, felizes e bem formadas.

parece q morre + qq coisa dentro de mim

ooo mdsol

mdsol disse...

Mónica

Imagino a tua tristeza. Com tanta vida juntos. Um abraço muito apertado.

:)))

mdsol disse...

Zé P

Não publiquei o seu comentário como pode constatar. Se quiser comentar verdadeiramente o meu post, esteja à vontade.