13 janeiro, 2011

na boca do lobo




Stuelpnagel, Daniel
sem título
(2002)


Não há becos sem saída. Há sim, por vezes, entradas para becos cujas saídas obrigam ao esforço de nos elevarmos em planos muito difícieis.

9 comentários:

Cristina Torrão disse...

Sim, o importante é não esquecer a réstia de esperança, mesmo que tudo nos pareça irremediavelmente perdido :)

Meg disse...

É caso para dizer que, neste caso, a esperança era verde...

Beijinho. Mdsol

ariel disse...

Sim, nem que seja de gatas...

Beijinho

:)))

Rogério Pereira disse...

Este labirinto não tem becos só tem saídas...para a sua entrada!
Nunca mais saimos desta.
Que tourada!

intimidades disse...

fantastica frase

bjinhos
Paula

João Menéres disse...

O buraco cada vez é maior...
É um plano inclinado muito a PIQUE !
É só fazer as contas...

jrd disse...

Vamos, força nisso!
:)

lino disse...

Se nos metermos na boca do lobo acabamos em Boliqueime.
Beijinho

Mónica disse...

gostei do pensamento e da imagem