03 agosto, 2010

se fossem gambuzinos era grave, como são gaifanas já não é? (4)

De acordo com o DN o PGR diz que tem os poderes da Rainha de Inglaterra. Entretanto levantam-se vozes críticas limitando uma saída consequente ao seu pedido de demissão ou parecido. O que eu vejo é que o PGR tomou medidas práticas que são consequentes com o seu descontentamento e denuncia de forma clara males práticos que sente no exercício da sua função. 

Já houve um tempo em que eu também achava que tudo se resolvia com o barulho gerado pelo bater da porta. Hoje acredito que bater com a porta pode servir para fechar ainda mais o que se quer mostrar que não está bem. 

Eu cá tenho muitas dúvidas. E se as partilho aqui é porque sei que quem sabe discutir estes assuntos a sério está de férias e, portanto, há espaço para leigos... :)))

8 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ainda bem que os "inteligentes" estão de férias,Mdsol. Assim, podemos desfrutar de mais um post onde revela a sua lucidez na análise de temas que têm sido abordados com uma leviandade confrangedora pela "inteligentzia" blogueira.:-)

jrd disse...

O que ele queria mesmo era ser sogro da Lady Di.
(Não há pachorra...)

Francisco Clamote disse...

Também acho que bater com a porta não resolve. Como diria o outro: muito pelo contrário.

intimidades disse...

a politica em portugal esta a precisar de um "recomeço" parece que ja ninguem sabe o que faz , ou fez, ou vai fazer

Beijos
Paula

Daniel Santos disse...

Pinto Monteiro esteve bem e colocou os pontos nos ís.

bettips disse...

SIM.
Analistas são demais: nomes aos bichos, pedem-se: "branco no preto" para se salientarem bem.
A Justiça deveria ser uma jóia da Democracia: aí caberia o social, o moral, o progresso, a educação, a cultura, tanto da base dum país que se quer em evolução.
E com justiça ao sabor de correntes, pior seremos e estaremos!
Bjs

lino disse...

Totalmente de acordo com a posta.

Mónica disse...

bater com a porta ou vir para os jornais chorar em vez de trabalhar