16 dezembro, 2007

E porque hoje é dia do senhor


Admito. A conversa por aqui anda chata e pesada. Mas, desde que iniciei "isto", sempre soube que escreveria o que me "saísse". Se eu não ando fresca e airosa, a prosa parida não lhe pode ficar muito distante.
Domingo de manhã. Arrumações muito básicas feitas, mexo ao acaso nos "meus livros". Saquei da estante o Vol.V (Ensaios) da Obras completas do Almada Negreiros. Admito que retirei este um pouco a pensar na minha querida Tinta Azul tão entusiasmada com o seu lado artístico. Abro e.... logo naquela 1ª página em branco que (quase) todos os livros têm antes de começarem propriamente, dou de caras com a minha letra a lápis! (Sim, eu escrevo, rabisco, sublinho os livros).

Vejo a data da minha "escritura": Domingo, 27/8 /1995 e leio admirada

13h

É preciso comer para viver
Tudo em nós requer alimentação
A cabeça o estômago, o coração
Peitos fortes, pernas boas para ver

Hoje para dar corpo à função
Vou fazer uns filetes de salmão
Cor bonita, aparência apaladada
P' ra degustar juntamente com salada.


Assim, sem um rabisco ou correcção.... Só me pude rir.... e ficar satisfeita porque naquele dia a minha vontade de fazer o almoço deveria ser tanta ... E o Almada que me perdoe ficar para depois.

4 comentários:

Um Ar De... disse...

Pois conhecendo o que dizem de Almada Negreiros, tudo indicaria que seria ele a dar uma valente gargalhada e a querer saber quem teria sido a autora de tal "introdução".
Quão surrealista, pois então!
Ia adorar!...
Nem se importaria de ficar para outro dia...
Bj

Mariadosol disse...

:))

Mariadosol

Mariadosol disse...

:)) um ar de...

Tinta_Azul disse...

mariadosol e um ar de...
Das pequenas coisas se fazem grandes momentos. É esses que temos de agarrar. Dentro do mundo há sempre a possibilidade de outros mundos.
:)))