11 janeiro, 2012

manhãs sem manha, com amanhã que se apanha







Parker, Erik
other side of morning
(2011)






Eric Clapton, early in the morning

A manhã parada
O azul.
A fundura da pupila.

Não é ainda a sede,
a matilha,
a febre.

O tronco nu -
a luz vacila.

Eugénio de Andrade, matéria solar, 10.

3 comentários:

lino disse...

Um belo poema! No Natal ofereci-me a poesia completa do Eugénio :))

heretico disse...

solar a manhã - clara e pura. apesar do frio...

heretico disse...

solar a manhã - clara e pura. apesar do frio...