03 janeiro, 2012

boas notícias





Guogu, Zhen
computer controlled by pig´s brain ( 2.2)
(2006)




 
Vejo, com satisfação, que os portugueses estão muito mais urbanos e cosmopolitas. 
  1. Centremo-nos, por exemplo, naquelas reportagens de rua que as tv's apresentam regularmente para ilustrarem a voz do povo sobre um assunto quente, num dado momento. Pois bem, muito ultimamente só vemos gente cordata, compreensiva, que reconhece os problemas, mas tem uma atitude construtiva.
  2. Sobressai, também, uma maior racionalidade dos comportamentos, nomeadamente na capacidade de planeamento e no olhar objectivo com que encaram o que é proposto. Por exemplo, nunca mais nasceram bebés em ambulâncias, a caminho da maternidade, com a mera ajuda de um bombeiro expedito, mas sempre atrapalhado. Também as aldeias do interior deixaram de se sentir orfãs das suas crianças que, transportadas em carrinhas próprias, frequentam escolas fora da sua rua e os autarcas não mais barafustaram contra mais este sinal de abandono do seu território interior.
  3. A calma é outra evidência deste modo comedido e civilizado de estar na vida. Não há retroescavadoras a rebentar caixas de multibanco, nem assaltos à mão armada que aticem reacções primárias e atribuam a culpa somente ao ministro do MAI, e berrem a consequente demissão, pois todos percebem que o contexto do crime mudou e que o policiamento presencial, feito por gente que come e tem família, pode bem ser substituído por uma boa videovigilância em cada esquina, muito mais limpa e sofisticada. 
  4. A lista reveladora deste súbito crescimento cívico podia ser mais longa mas o já dito parece suficiente para o revelar e, sobretudo, para mostrar o contraste enorme com a  gente esganiçada que costumava aparecer assaz descabelada, não há muito tempo, nas reportagens televisivas. Isto só pode ter que ver com um surto formativo extraordinário, que elevou muitíssimo os níveis de educação e de racionalidade do povo, num curto espaço de tempo.  
  5. Ah! E como se nota o elevado grau de aprendizagem das técnicas da prestidigitação traduzida nos modinhos daqueles que, neste momento, fazem o controlo e a vigilância de todos nós. Um descansinho.

11 comentários:

Francisco Clamote disse...

Um progresso notável, sem dúvida!

jrd disse...

Amarga ironia.

O país está rigorosamente vigiado.
:(

lino disse...

Haja humor e ironia!

Rogério Pereira disse...

1 - nunca fui entrevistado. Quando se diriam-se a mim, voltaram-se para o outro lado
2 - os partos passaram a ser caseiros...
3 - os assaltos passaram a ser à mão armada

e os jornais,disso, não dizem nada...

Porfirio Silva disse...

Sim, há um véu de nevoeiro muito conveniente, ;-)

poetaeusou . . . disse...

*
Amig
visito-te com amizade,
carinho e respeito !
,
Gostei do Post, parabéns ! !
,
retornei e o meu regresso
tem as asas da boa vaga
esquecendo a onda amarga
tão triste no seu quebrar,
porém, é belo o seu trovar,
ecos fortes e salgados,
de Paz , “standarizada” !
Paz nos meus votos sagrados,
que aqui deixo, bem expresso !
,
conchinhas, muitas, para ti !
*

Daniel Santos disse...

em grande.

Helena disse...

hehehehe...

R. disse...

Subscrevo tim-tim-por-tim-tim! Valha-nos ao menos exposições como esta, tão eloquentes quanto necessárias (e ainda por cima divertidas!)

Um abraço, um obrigada por nos presenteares com a tua permanência e os votos gratos e inteiramente retribuídos de um excelente ano!

Fernando Vasconcelos disse...

Levantou a placa da ironia?

netviagem disse...

E ainda acrescento que também vejo com satisfação a TV emitir ideias generalizadas sobre a vontade popular a partir de meia dúzia de entrevistas de rua. É agradável ver títulos do género "Portugueses concordam com esta nova medida" e fundamentam com 3 entrevistas de rua... enfim valha-nos os blogs de livre pensamento, por enquanto.