03 novembro, 2012

sábado de manhã (237)





Fautrier, Jean
nu rose
(1929).



3 comentários:

Mar Arável disse...

É sempre uma festa
linda
visitar o seu espaço

Rogério Pereira disse...

237º sono... e o sonho?

heretico disse...

sono de pedra?